Plano de Saúde com Coparticipação – como funciona


Você já ouviu falar do Plano de Saúde com Coparticipação? Essa é uma das modalidades mais contratadas devido ao menor valor fixo da mensalidade e um valor variável de acordo com a utilização do plano.

É importante destacar que a coparticipação jamais pode ser equivalente ao valor total do procedimento realizado pelo paciente.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) regulamenta os valores máximo que podem ser cobrados de Coparticipação e também proíbe a incidência de Coparticipação de mais de 250 procedimentos, que são isentos.

Saiba mais sobre o tão comentado Plano de Saúde com Coparticipação neste guia! Confira:

O que é Plano de Saúde com Coparticipação?

O principal motivo de tornar o Plano de Saúde com Coparticipação um dos mais contratados no país é o fato de que ele oferece as mesmas coberturas dos outros tipos de planos, porém com um valor fixo de mensalidade menor e uma parte variável (a coparticipação) de acordo com a utilização do plano.

Ou seja, para um usuário que utilize pouco o plano de saúde, é bastante vantajoso ter um Plano de Saúde com Coparticipação. Por outro lado, se o consumidor precisa utilizar o plano com frequência para exames e procedimentos, o custo-benefício pode não ser tão interessante.

A ANS possui regras específicas para esta modalidade de Plano de Saúde, a fim de proteger o direito do consumidor e regulamentar todos os tipos de Coparticipação.

O que é Coparticipação

A Coparticipação nada mais é que, um percentual do valor do procedimento que a operadora do Plano de Saúde pode cobrar do beneficiário, além daquele valor fixo pago mensalmente.

Quais as regras da Coparticipação de Planos de Saúde

A Agência Nacional de Saúde Suplementar alterou em Junho de 2018 algumas regras de coparticipação. Confira:

  • O valor máximo da Coparticipação não pode ultrapassar o valor da mensalidade do Plano de Saúde, ou seja, se o usuário paga R$50,00 ao mês para a operadora, a Coparticipação pode chegar até a R$50,00, totalizando assim R$100,00;
  • A ANS proibiu a cobrança de Coparticipação de mais de 250 procedimentos;
  • Atendimentos em pronto socorros ou internações devem ter valor monetário fixo e único aplicado;
  • O percentual máximo de Coparticipação não pode ultrapassar 40% do valor do procedimento.

Coparticipação em internação – como funciona?

A única diferença da Coparticipação no caso da internação é que, de acordo com a ANS, é que ao invés de um percentual, deve ser cobrado um valor fixo a respeito da internação.

Indiferente se forem realizados um ou dez procedimentos, o valor deve ser fixo e estável.

A coparticipação do meu Plano de Saúde está muito alta. O que fazer?

Caso acredite que haja alguma irregularidade com a Coparticipação do seu Plano de Saúde, o melhor modo de resolver o problema é contar com a ajuda de um Advogado Especialista em Saúde. Cobrança de percentuais de coparticipação abusivos ou indevidos, podem ser discutidos judicialmente.

Ficou com alguma dúvida sobre Planos de Saúde com Coparticipação ou quer falar com um Advogado Especialista em Saúde? Preencha o formulário abaixo que nossa equipe entrará em contato o mais rápido possível.

 

Fale com um advogado especialista em Saúde